Economia

Empresários cearenses debatem saídas para a crise da covid-19

Em live, empresários falaram sobre importância de encontrar um meio termo para evitar a transmissão do vírus, sem paralisar completamente as atividades econômicas

(Foto: Divulgação/ Facebook)

Empresários cearenses se reuniram na noite desta sexta-feira, 27, em uma live nas redes sociais para discutir sobre como fica a economia durante a pandemia do novo Coronavírus. O debate foi mediado pelo deputado Domingos Neto, coordenador da Bancada Federal do Ceará e relator do Orçamento 2020. Os empresários defenderam a despolitização do tema e a importância de retomar atividades econômicas de forma gradual. Antes da live, eles estiveram em reunião com o governador Camilo Santana.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante demonstrou preocupação em encontrar equilíbrio nas medidas de contenção do vírus, a fim de não prejudicar as empresas do estado de forma que elas não consigam se recuperar. Ele citou a reunião que acontece amanhã (28) com o governador Camilo Santana. Cavalcante também defendeu uma unificação dos políticos nesse momento. “Não dá mais para a gente escutar brigas quando estamos falando de vidas humanas e de pessoas com medo de perder os empregos”, colocou.

Presidente do Sistema Fecomércio, Maurício Filizola destacou que esse é um momento nunca antes visto e reforçou que empregados e empregadores estão “no mesmo barco”. “Estamos com uma situação em que grande parte do comércio está fechado, o clamor é muito grande, mas temos que ter uma preocupação com a saúde pública”, ponderou.

O presidente da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), Claudio Bastos defendeu que haja uma estruturação produtiva que possa atender a todos. “A gente não quer fazer as escolhas entre vidas e produção, a gente quer manter a produção e proteger nossos funcionários”, disse. Proprietário da R. Amaral Advogados, Raul Amaral defendeu que a paralisação ocorra de forma gradativa. “Será que não é melhor voltar em uma escalada gradativa e ter nossos colaboradores garantindo que tem como se manter um período de estiagem?”, questionou.

Para o presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-CE), Eduardo Diogo, o momento é imprevisível e o recomendável é fazer um “saudável alarmismo”. “A solução em uma situação dessas só vêm de governos nacionais. E o governo nacional brasileiro está empenhado nesse sentido”, afirmou.

Também estiveram presentes no debate o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, o empresário Deusmar Queirós e Severino Ramalho Neto.

3 respostas para “Empresários cearenses debatem saídas para a crise da covid-19”

  1. Estou muito preocupado com a situação do nosso Estado. Eu fico inquieto com o índice de desemprego e o possível caos de esteria coletiva. Me aflige muito a situação de um possível saque nos supermercados.Roubo e furto ao cidadão. A falta de trabalho vai trazer sequelas jamais vistas.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS