Jornal Impresso

A saúde mental dos colaboradores na pandemia

Por Suyanne Carioca

Com o isolamento social e a adoção do formato home office para dar continuidade ao fluxo de trabalho, a rotina das pessoas mudou drasticamente. Equilibrar as demandas de casa com as do trabalho, zelando pela manutenção das atividades, ampliou o leque de preocupações das pessoas, que passaram a lidar com novos tipos de estresse. Sem contar a própria pandemia em si e os impactos que vem ocasionando.

Diante de tudo isso é importante falarmos sobre a saúde mental dos colaboradores e a adoção de medidas para minimizar ou até mesmo evitar o desenvolvimento de distúrbios psíquicos. Desconforto, medo, ansiedade e irritabilidade são questões que precisam ser acompanhadas a partir da criação de espaços para que os colaboradores se expressem e sejam acolhidos. Com a pandemia, sentimentos como o de perda constante, luto, preocupação com parentes doentes e impactos do cenário geral no trabalho e renda se intensificam e também exigem atenção.  A atuação da empresa deve ocorrer, então, em duas frentes: sobre a saúde mental dos profissionais que estão em isolamento e sobre os profissionais que, devido às atividades que exercem, continuam ocupando o ambiente de trabalho.

Um dos projetos que lançamos com o objetivo de discutir essas questões e dar aos colegas a possibilidade de, com suporte, lidar com a realidade à qual fomos todos submetidos levou o nome de “Café Virtual”. Na prática, acolhimento e acompanhamento psicológico, mesmo que de maneira remota.

A experiência possibilitou o diálogo necessário sobre as questões advindas das novas rotinas. Afinal, tudo o que acontecia no dia a dia, em diferentes locais, passou a se concentrar dentro de casa e ao mesmo tempo. A busca do equilíbrio entre trabalhar, cuidar da casa, ajudar os filhos nas tarefas escolares e estipular um tempo para si se tornou constante e desafiadora.

Fazer com que os colaboradores se sintam cuidados e ouvidos vem fazendo toda a diferença, que se reflete positivamente no acolhimento que esses profissionais precisam proporcionar aos alunos e familiares com os quais lidam diariamente.

Não à toa essa política de assistência virtual se estende para toda a comunidade escolar, dos estudantes às suas famílias, respeitando-se, sempre, as características individuais e os diferentes segmentos de ensino (Educação infantil, Fundamental e Médio).

Suyanne Carioca é psicóloga do Colégio Darwin, que presta atendimento a estudantes e colaboradores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS