Economia

Mob Telecom aumenta em 53% vendas de internet residencial durante pandemia

A mudança de hábitos durante a pandemia fez com que o consumidor buscasse redes locais de qualidade e com atendimento diferenciado. Dessa forma, empresa aumentou de 3.000 para 5.000 os clientes residenciais entre março e junho

Marta Bruno
martabruno@ootimista.com.br

Desde que o isolamento social começou em Fortaleza e o trabalho remoto e o lazer se uniram à rotina residencial, o aumento do tráfego de internet exigiu soluções locais mais rápidas e efetivas para redes internas. Com o novo comportamento profissional e consumidor, surgia um potencial mercado em ascensão. Nesse contexto, a Mob Telecom, empresa cearense com 24 anos de mercado em tecnologia e telecomunicações, aumentou em 53% as vendas de redes de internet residencial, saltando de 3.000 para 5.000 clientes nessa categoria entre março e junho, meses incidência da pandemia no Ceará. Já entre a base dos 50 mil clientes instalados no varejo, a média de crescimento mensal é de 10%.

A explicação para tamanho aumento nas adesões é simples, na visão do diretor comercial e de atendimento da empresa, Sayde Bayde: “todo mundo quer e precisa de uma boa internet”. Só em junho a empresa liberou internet para mais 16 bairros, somando agora presença em 45 dos 122 bairros de Fortaleza. No Ceará, a atuação é em 26 municípios e outros três em Pernambuco (Salgueiro, Parnamirim e Terra Nova). A expectativa é, até dezembro, estar em todos os bairros de Fortaleza e em mais de 50 municípios do interior. Além disso, a empresa pretende se instalar em outra capital do Nordeste até o mês de outubro.

No país, somente durante a quarentena, entre os meses de março e maio, o uso de internet dobrou, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A expectativa é que, no Ceará, até 2021, os 184 municípios estejam interligados por fibra ótica, através do Cinturão Digital, que compreende a instalação de rede de fibra ótica por parte do governo estadual em parceria com empresas privadas, como a Mob, que cobre 26 municípios com fibra ótica no Estado. As cidades e distritos atendidos estão localizados nas regionais de Fortaleza, Campos Sales, Várzea Alegre, Mauriti, Juazeiro do Norte, Iguatu, Quixadá e Litoral. Missão Velha, Salitre, Assaré, Farias Brio, Lavras da Magabeira, Cedro, Cariús, Jucás, Quixelô, Orós, Acopiara, Piquet Carneiro, Mombaça, Limoeiro do Norte, Tabuleiro do Norte, Beberibe, Cascavel, Eusébio, Caucaia e Sobral também estão entre os municípios cobertos pela Mob.

Em paralelo à expansão da rede local, a empresa mantém clientes e escritórios em São Paulo, Brasília, Belém e Miami (Estados Unidos) e atende ao mercado dos Estados Unidos e Europa, buscando conteúdo de internet. No Brasil, empresas e instituições públicas como o Banco do Brasil, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Exército estão na carteira de clientes da Mob, assim como as de economia privada Grupo Pague Menos e Grupo Edson Queiroz, ambas de atuação nacional, entre outras. “A tendência é manter essa ascensão, gerando emprego, renda e melhorando a qualidade da internet residencial em localidades onde antes o serviço não chegava ou não era bom”, explica Sayde, ressaltando que, neste momento, o foco da empresa é o varejo.

Embora esse segmento represente cerca de 20% dos negócios da empresa, a meta é chegar à representatividade de 40% a 50% dos negócios somente com varejo. Operadores, provedores de internet, grandes empresas e órgãos de governo respondem, cada, por 20% do faturamento da empresa.

Para melhor atender a esse mercado, a Mob está investindo em atendimento e rapidez nas soluções. Um centro de atendimento da empresa funciona, em Fortaleza, com 100 pessoas trabalhando em call center. “Tratamos o cliente de acordo com suas especificidades. Cada um é único, quer atendimento rápido e sua internet funcionando bem. É isso que estamos oferecendo”, destaca.

Desde março, a Mob ganhou uma estratégia a mais para popularizar a marca. Oferecendo tecnologia para a realização de lives de música, humor, webnários, games e de gastronomia, a empresa estendeu participação em 120 lives, algumas como milhões de acessos simultâneos, como as do cantor Xandy, garoto propaganda da marca. Sayde Bayde atribui o êxito no trabalho à expertise que a empresa já possuía na realização de eventos, como feirões de imóveis e de vendas de carros. “Há uma estrutura de redundância para manter a conexão e não deixar a live cair. Nenhuma das que realizamos caiu, porque sempre temos um plano B”, aponta.

Mob tem mais de 300 vagas para contratação imediata

Em meio a incertezas econômicas e a um cenário que afeta setores importantes na indústria, comércio e serviços, a área de tecnologia da informação e de telecomunicações está percorrendo um caminho contrário. Com aumento do quadro de pessoal entre 15% a 20% por mês, a cearense Mob Telecom está expandindo negócios, ganhando novos mercados no Nordeste e, para atender à demanda crescente no varejo, contratando. A empresa cearense está com vagas abertas para mais de 300 profissionais, a maioria na área de varejo, mas também há disponibilidade para cargos sêniores e técnicos.

O incremento no quadro surge como uma necessidade para ampliar e melhorar o atendimento. É uma forma de dar subsídio e suporte imediato ao cliente”, justifica a diretora estratégica, do setor de gente e de tecnologia da informação interna, Daniele Bayde. Por mês, a empresa recebe de 200 a 300 currículos apenas para o varejo. Neste ano, especialmente a partir de março, quando começou o isolamento e a transmissão de dados passou a ser uma necessidade residencial, as contrações fazem o quadro aumentar até 20% ao mês.

De acordo com a diretora, os processos de seleção e de contratação obedecem os protocolos sanitários para evitar a transmissão de covid-19. Para isso, os grupos em seleção foram reduzidos pela metade e participam das etapas respeitando o distanciamento exigido e utilizando os equipamentos de proteção individual. Além disso, em relação aos já funcionários, a empresa mantém parte dos colaboradores em home office. Já os trabalhadores que vão às residências dos clientes o fazem com máscara, luvas, proteção para cobrir sapatos e álcool em gel individual e dentro dos veículos, que também são higienizados.

Contratar em um momento de pandemia ainda em processo de controle, na opinião de Daniele Bayde, representa esperança e motivação para contribuir com a retomada da economia. “É um momento muito difícil. Todo mundo conhece alguém que perdeu emprego ou teve salário reduzido or conta da pandemia. Então fazer o percurso contrário é um suspiro, dá esperança. A gente fica feliz de poder dar essa alegria para algumas pessoas, proporcionar trabalho. Então por isso quem está vindo chega com muita energia, com vontade de agregar, de crescer, de construir”, analisa.

Quando começou, há 24 anos, a empresa tinha 12 funcionários. Em 1996, a empresa foi a primeira operadora de telecomunicações privada no Ceará. No ano seguinte, os serviços se expandiram para o interior e, a partir de 2000, novas modalidades de tecnologia passaram a ser oferecidas, como conexão via rádio, ADSL e cabo, o que permitiu os primeiros passos com a internet banda larga. Naquela década, os grandes provedores se firmaram, mas só depois de 2010 a empresa passou a operar em telefonia fixa no mercado nacional. Durante 20 anos, a empresa prestou serviço em oito estados, unificando linhas de produto. A partir de 2018, a estratégia se voltou para o segmento residencial. Hoje são 700 colaboradores atuando diretamente junto à marca, com rede em 11 estados e clientes em 13.

Com a ampliação nos serviços, a empresa também precisa potencializar a capacidade técnica e gerencial. Embora seja de base familiar, a Mob tem recrutado executivos e gerentes com diferencial no mercado, mas a maioria das ofertas é no varejo. Esse profissional, segundo Daniele, Bayde, deve ser dinâmico, ter planos para ascender e agregar valores e pessoas, no sentido de conectar e promover desenvolvimento a partir da tecnologia da informação e da comunicação.

“Uma empresa é feita de pessoas com energia correta e com capital intelectual adequado. Investimos muito no nosso pessoal. Construímos um centro educacional em Aquiraz. Temos um programa de educação para os colaboradores. Eles sugerem cursos e a gente viabiliza”, explica Daniele Bayde, referindo-se ao Mob Educa. Entre os cursos há provas técnicas e certificações junto ao Google. “A gente entende que os colaboradores têm que crescer junto com a empresa. Por isso damos toda forma de suporte para o crescimento individual, que reflete na expansão da empresa”, associa.

Embora a Mob Telecom possua base familiar, a empresa também recruta executivos para áreas estratégicas, de alta gestão, em gerência sênior e diretoria. Embora haja escritórios em outros estados, a prioridade nesse tipo vaga é para profissionais locais. “Priorizamos encontrar alguém nas proximidades, principalmente no Ceará, porque a gente acredita no potencial do cearense e precisamos valorizar o que temos”, informa a diretora. Segundo ela, 90% da diretoria é composta por cearenses.

Para Daniele Bayde, contratar as pessoas certas impacta diretamente na qualidade do serviço, já que todas as ações são voltadas para agregar junto ao cliente. “Todo o processo é visando melhoria para o cliente. As otimizações e os investimentos são para ter melhor qualidade na internet residencial e comercial, mas é o cliente que deve estar satisfeito com o que ele está recebendo. Por isso zelamos pela excelência. A gente não pode deixar que nosso cliente final sofra qualquer instabilidade relacionada ao serviço”, afirma.

Para comportar a ampliação de serviço e atendimento nos 26 municípios em que a Mob atua no Ceará, as contratações não serão apenas em Fortaleza. Além de na capital, há vagas também para atuar em municípios das regionais de Campos Sales, Várzea Alegre, Mauriti, Juazeiro do Norte, Iguatu, Quixadá, Litoral (Ceará) e de Salgueiro (Pernambuco).

Para participar das seleções, o candidato deve enviar currículo através do site www.mobtelecom.com.br. Toda a integração ocorre a partir do endereço eletrônico. Selecionada, a pessoa passa por capacitação no centro de treinamento da empresa, localizado em Aquiraz. Para as vagas mais técnicas ou gerenciais, a outra ferramenta para participar dos processos de seleção é o Linkedin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS