Jornal Impresso

Menos é mais – estilo slow living

Por Conceiyção Montserrat

Estávamos de maneira muito sutil iniciando conscientização sobre a maneira como consumíamos em um processo desenfreado tentando suprir uma carência que não sabíamos de onde vinha e gerava desequilíbrio emocional. De repente um vírus obriga a todos voltarem para si e para a família, nos fazendo pensar de forma coletiva, respeitando os seus e o entorno com medidas e cuidados que protejam a coletividade.

E, quando menos se espera, nossas carências vão sendo supridas com o retorno ao lar, à família, nos preocupando com as coisas simples e sem a correria do dia a dia e as obrigações dos cumprimentos nos horários estipulados e compromissos assumidos. E sabe o que descobrimos?  Não precisamos ter tantas obrigações, tantos compromissos nos levando para o mesmo lugar onde todas as empresas se concentram, congestionando as vias expressas, as principais avenidas e rodovias em um ir e vir alucinado para cumprir funções que hoje vemos que podemos executar de casa com mais qualidade.

Acho isto magnífico. Poder cuidar da família com mais atenção, participando de detalhes que antes, pelos compromissos assumidos, era impossível. Voltando a ter oportunidades de cozinhar para os filhos, brincar com eles em atividades lúdicas, sessão cinema, acampamento na sala. Organizar tarefas que, pelo cansaço físico dos longos deslocamentos, era impossível. Isto nos remete a um estilo slow living. Desacelerando o ritmo, aproveitando mais seu tempo, repensando necessidades, entendendo que você pode usufruir de mais espaço trocando sua casa nos grandes centros por uma mais afastada em outro bairro ou cidade.

O cenário atual nos faz repensar em nossas necessidades e prioridades.  Consumir por consumir saiu de moda, essa pandemia trouxe para o contexto dos negócios e comércio a necessidade de revisitar as prioridades.

Hoje se faz necessário repensar no valor concedido às pessoas, no impacto ambiental, na geração de um impacto positivo na sociedade ou no engajamento com uma causa. É necessário olhar definitivamente com confiança para os colaboradores, já que o home office deixou de ser uma alternativa para ser uma necessidade. Será que não vale a pena ter um olhar diferente para essa situação e buscar para sua realidade questões que lhe tragam equilíbrio pessoal, profissional e social? Reflita!

Conceiyção Montserrat é especialista em assessoria de imprensa, planejamento estratégico e conteúdos educacionais

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS