Panorama

Abrasel-CE denuncia aglomeração de banhistas e ambulantes na Praia do Futuro neste domingo

Imagens divulgadas pelo presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-CE), Rodolphe Trindade, mostram um domingo de lotação de carros e banhistas na Praia do Futuro. Um dia após a decisão do governador Camilo Santana de manter fechadas as barracas de praia, o que se viu foram aglomerações e ambulantes na praia, além dos banhistas.

Segundo nota divulgada pelo presidente da Abrasel-CE, “o Governo alegou cuidado com as pessoas para tomada de decisão de barracas de praia não abrirem, porém acabou jogando essas pessoas a Deus dará, nas mãos de ambulantes, com aglomerações e sem normas de higiene. As barracas de praia estavam preparadas pra dar segurança sanitária, e de distanciamento social e EPIs necessários. Se a ideia era não gerar aglomerações e dar mais segurança a população aconteceu o inverso e já sabíamos, temos visto isso a tempos nas praias e denunciando a Agefisr. Os pagadores de impostos fechados e os irregulares abertos não é um caminho justo”, finaliza o presidente da Abrasel-CE.

Freio

De acordo com o secretário executivo de Planejamento e Orçamento do Estado e coordenador do plano de retomada, Flávio Ataliba, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais para tirar dúvidas sobre o novo decreto estadual, o Estado identificou uma piora nos indicadores de saúde ligados à pandemia do novo coronavírus na última semana. Esse repique observado, segundo Ataliba, será avaliado por mais tempo para constatar se é um tendência a longo prazo ou apenas uma flutuação.

Ele informou ainda que o avanço do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais para a terceira fase em Fortaleza foi autorizado, mas o Estado adiou o funcionamento de bares e restaurantes à noite e das barracas de praia em função dessa nova alta nos indicadores. “Isso pode ser um alerta para todos de que precisamos ir um pouco mais devagar nessa liberação. Queremos mais um tempinho para verificar esse repique e saber se ele continuará crescendo ou se foi uma flutuação temporária”, afirmou.

Ele acrescenta que é imprescindível que a população siga as regras e protocolos exigidos para manter a contaminação sob controle. “Não podemos assistir o que aconteceu em uma cidade aqui no brasil, de pessoas sem máscara, como pessoas que não estão preocupadas, esse comportamento é o pior que tem, porque não afeta só a sua saúde, mas a de outras pessoas. E, como cidadão, essa responsabilidade todos têm que ter”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS