Panorama

Em pronunciamento, Bolsonaro cita OMS e diz que “devemos evitar destruição de empregos”

Presidente fala na rede nacional de TV e rádio na noite desta terça-feira (31)

Redação O Otimista
otimista@ootimista.com.br

O presidente Jair Bolsonaro fez pronunciamento na cadeia nacional de TV e rádio na noite desta terça-feira (31). O presidente começou a transmissão citando o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom, na qual o especialista em saúde endossa a necessidade de atenção às populações mais vulneráveis. “A missão é salvar vidas e preservar empregos”, disse o presidente após a citação.

Um trecho da fala de Adhanom, em que ele falava sobre populações carentes de todo o mundo, foi usada pelo presidente e seus apoiadores nas redes sociais como argumento contra o isolamento social. O discurso de Adhanom, na íntegra, mostra a necessidade de isolamento, mas com assistência social para os vulneráveis, o que não foi citado por Bolsonaro no pronunciamento. O uso do trecho pelo presidente brasileiro, num momento em que diversos países adotam quarentena, rendeu polêmica.

No pronunciamento desta noite, o Bolsonaro voltou a dizer que a guerra contra o novo coronavírus trará perdas de vidas. “Infelizmente teremos perdas neste caminho, eu mesmo já perdi entes queridos no passado”. E emendou: “o efeito colateral das medidas de combate ao coronavírus não pode ser pior que a doença”, afirmou o presidente depois de enumerar ações do Governo Federal no combate à doença.

Entre as medidas citadas por ele, estão apoio do Ministério aos estados, aquisição de leitos com respiradores, compra equipamentos de proteção para profissionais da saúde, além das medidas econômicas. “Minha preocupação sempre foi salvar vidas, por pandemia, desemprego e fome”, ressaltou o presidente em um pronunciamento de tom mais ameno e sem as ironias usadas em rede nacional na semana passada.

 

 

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS