Política

Caso Marielle: Porteiro que liberou entrada de suspeito não é o mesmo que citou Bolsonaro

Informações foram publicadas na edição desta terça-feira, 11, do O Globo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apontou que o porteiro que liberou a entrada de Elcio Queiroz, suspeito de homicídio no caso Marielle Franco, em condomínio não é o mesmo que citou o presidente Jair Bolsonaro em depoimento. As informações são do O Globo, que teve acesso a laudo assinado por seis peritos. De acordo com o documento, foram analisadas as vozes de quatro funcionários, chegando a conclusão de que se tratam de pessoas diferentes.

No ano passado, reportagem da TV Globo apontou que um porteiro do condomínio Vivendas da Barra afirmou em depoimento que “seu Jair” teria liberado a entrada de Elcio Queiroz no condomínio onde, além do presidente, mora Ronnie Lessa no dia do assassinato de Marielle.

O porteiro, depois, recuou e disse que se enganou ao registrar a visita de Queiroz ao presidente, negando ter sofrido pressão para mudar o depoimento.  Tanto Ronnie quanto Elcio estão presos. Perícia policial já havia apontado que o próprio Ronnie liberou a entrada de Elcio.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS