Política

O real eleitorado de Fortaleza

Números serão revelados pelo recadastramento

Por Edison Silva
edisonsilva@ootimista.com.br

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Ceará, desembargador Haroldo Máximo, tem desenvolvido esforços junto aos meios de comunicação, nos últimos dias, no sentido de sensibilizarem os eleitores de Fortaleza, ainda não recadastrados, a comparecem aos postos da Justiça Eleitoral, para, fazendo a biometria, evitarem o transtorno de terem os seus títulos cancelados. Sem o título de eleitor, o brasileiro entre 17 e 70 anos de idade, perde parcialmente a sua condição de cidadão.

É louvável o empenho do desembargado Haroldo, mas como já observamos em comentário recente para o Blog do Edison Silva (blogdoedisonsilva.com.br), alguns milhares de eleitores, do montante apresentado pelo cadastro do próprio TRE, não comparecerão para fazer a biometria pelo fato de simplesmente eles não mais existirem, ou por terem morrido, ou, também por terem mudado de domicílio.

Na verdade, com a emissão do novo título, como ficou provado em outros municípios, onde o processo de mudança já foi concretizado, o eleitorado de Fortaleza, oficialmente, ficará menor que o relacionado para a última eleição, em 2018, quando tínhamos aptos a votar 1.775.222 eleitores, e apenas 1.465.232 compareceram às urnas, uma abstenção de 309.990 eleitores, ou 17% do eleitorado oficialmente registrado.

Nas últimas duas eleições municipais os números de eleitores que compareceram para votar foram proporcionalmente iguais aos do pleito de 2018, significando dizer que os números dos eleitores aptos, na estática do TRE, não são reais. Esses percentuais de abstenção, para os dias atuais são considerados exagerados, posto a necessidade que a cidadã ou o cidadão tem de comprovar ter cumprido com a obrigação de comparecer às urnas, mesmo que tenham deixado de votar nesse ou naquele candidato.

Quociente
A previsão do novo eleitorado de Fortaleza, concluído o processo de recadastramento, no próximo dia 29, é de que ele ficará próximo de 1.500.000 eleitores, registrando, ao fim da eleição de 2020, uma abstenção bem menor que as comprovadas nos pleitos municipais de 2012 e 2016, bem como com a efetivada na disputa estadual de 2018, pois os números do eleitorado estarão, realmente, próximo da fidedignidade.
Com a oficialização de um novo número do eleitorado fortalezense, apesar dos votos nulos e brancos, o quociente eleitoral deverá ficar igual ou pouco superior a 30 mil votos para a eleição de um vereador na Capital cearense. Vários partidos, provavelmente, não alcançarão o total de votos para eleger um único vereador.

Deixe uma resposta

Compartilhe

VEJA OUTRAS NOTÍCIAS